Uma sociedade cristã

IBFTO 30 de maio de 2014 0
Uma sociedade cristã

O Novo Testamento, sem entrar em detalhes, nos dá uma ideia clara de como seria uma sociedade totalmente cristã.

Talvez nos dê até mais do que podemos perceber. Ele nos diz que nessa sociedade não devem existir passageiros ou parasitas; se alguém não trabalha, que também não coma. Cada um deve trabalhar com as suas próprias mãos, e o que é mais importante: o trabalho de cada um deve produzir algo bom. Não se devem produzir coisas tolas e supérfluas e depois propagandas ainda mais ridículas para nos persuadir a comprá-las.

Também não deve haver nenhum favoritismo, nenhum partidarismo ou escândalo. Até aí, uma sociedade cristã seria o que chamamos de esquerdista. Por outro lado, ela sempre enfatizará a obediência — obediência (uma marca externa do respeito) de todos nós para com as autoridades legitimamente constituídas, dos filhos em relação aos pais, e (temo que isso será bem pouco popular) das esposas em relação aos seus maridos.

Em terceiro lugar, ela será uma sociedade alegre, cheia de canto e regozijo, e que considera a preocupação e a ansiedade totalmente erradas. A cortesia é uma das virtudes cristãs, e o Novo Testamento odeia o que chamamos de “intrometidos”.

Se uma sociedade dessas existisse e algum de nós a visitasse, acredito que ficaríamos com uma curiosa impressão. Acharíamos a sua vida econômica socialista demais e, por esse prisma, muito “avançada”. Porém, acharíamos sua vida familiar e o seu código de conduta muito fora de moda — quem sabe até cerimoniosos e aristocráticos. Todos nós simpatizaríamos com algo, mas bem poucos gostariam de tudo. É isso que se deve esperar se o cristianismo for o plano total para a humanidade. Todos nós nos afastamos desse plano em diferentes direções, e cada um de nós quer fazer com que a sua modificação do plano original seja o plano em si. Você sempre acabará descobrindo isso novamente em relação a qualquer coisa que seja realmente cristã. Cada um é atraído por algumas partes e quer considerá-las em detrimento de todo o resto.

Retirado de Um Ano com C. S. Lewis, Editora Ultimato.

Deixe seu Comentário »