Não basta ser legal

IBFTO 18 de maio de 2014 0
Não basta ser legal

A “bondade” — ter uma personalidade sadia e íntegra — é excelente.

Devemos procurar por todos os meios ao nosso alcance, sejam médicos, educacionais, econômicos e políticos, produzir um mundo em que o maior número de pessoas cresçam sendo “legais”, da mesma forma que devemos tentar contribuir para um mundo em que todos tenham o suficiente para comer. Porém, não devemos supor que, mesmo se tivermos sucesso em tornar todas as pessoas em seres humanos bons, suas almas estarão salvas.

Um mundo de gente boa, contente consigo mesmo, que não olha adiante, distante de Deus, seria tão desesperadamente necessitado de salvação, quanto um mundo miserável — e talvez fosse até mais difícil de ser salvo.

O simples aperfeiçoamento não significa redenção, embora a redenção sempre melhore as pessoas, até mesmo aqui e agora, e no final, as aperfeiçoará num grau que ainda não podemos imaginar. Deus se fez homem para transformar suas criaturas em seus filhos: não simplesmente para melhorar o velho homem, mas para produzir um novo tipo de homem.

Não se trata de ensinar um cavalo a pular cada vez melhor, mas de transformar um cavalo em um ser alado. É claro que, uma vez adquiridas as asas, ele levantará voo por sobre obstáculos que antes nunca teriam sido vencidos e, com isso, acabará derrotando o cavalo comum no seu próprio jogo. Contudo, poderá haver um período, enquanto as asas ainda estiverem começando a crescer, em que ele não poderá fazê-lo. E nesse estágio as protuberâncias em seus ombros — ninguém que as veja diz que irão se transformar em asas — talvez até lhe deem uma aparência desajeitada.

Retirado de Um Ano com C. S. Lewis, Editora Ultimato.

Deixe seu Comentário »