Entrega total

IBFTO 11 de maio de 2014 0
Entrega total

Se Deus tinha condições de nos deixar escapar, por que ele não deixou? E que sentido poderia haver em punir uma pessoa inocente no lugar?

Não consigo enxergar a razão, se você está pensando em punição no sentido policial. Por outro lado, se você pensar em uma dívida, há muito mais a se dizer de uma pessoa que tem algumas posses e paga por aquela pessoa que não as tem. Ou, se você entender “pagar o preço”, não no sentido de ser punido, mas no sentido de aguentar as consequências, ou “pagar uma conta”, então, quando alguém se encontra no fundo do poço, o trabalho de tirá-la de lá normalmente recai sobre um bom amigo.

Agora, que “buraco” é esse em que o ser humano se meteu? Ele tentou viver de forma independente, como se pertencesse a si mesmo. Em outras palavras, o ser humano decaído não é simplesmente uma criatura imperfeita que precisa ser aperfeiçoada; trata-se de um rebelde que precisa entregar as suas armas. Baixar as armas, entregar-se, dizer que você lamenta, que estava no caminho errado e que está pronto para começar a vida de novo — eis a única saída para fora do nosso “buraco”. Esse processo de entrega — esse movimento para trás — é o que os cristãos chamam de arrependimento.

Acontece que o arrependimento não tem nada de divertido. Trata-se de algo muito mais difícil do que simplesmente desculpar-se. Significa desaprender todo tipo de autoconceito e vontade própria que estivemos alimentando e retroalimentando por anos a fio. Significa destruir uma parte de nós mesmos, passando por uma espécie de morte. Na verdade, é preciso ser bom para se arrepender. Mas é aí que está a dificuldade. Só uma pessoa má precisa de arrependimento; acontece que só uma pessoa boa pode se arrepender de forma perfeita. Quanto pior você é, mais precisará se arrepender e menos poderá fazê-lo. A única pessoa capaz de fazê-lo de maneira perfeita seria uma pessoa perfeita — e essa não teria necessidade nenhuma de fazê-lo.

Retirado de Um Ano com C. S. Lewis, Editora Ultimato.

Deixe seu Comentário »