O desanimado que ora

IBFTO 25 de março de 2014 0
O desanimado que ora

Se algum de vocês estiver sofrendo, ore. (Tg 5.13a)

Pode parecer simples demais a solução apresentada por Tiago ao irmão que está sofrendo: ele deve recorrer à oração. O conselho dele contrasta com os conselhos que geralmente são dados hoje:

Se alguém está sofrendo, procure se distrair: ligue a televisão, leia um livro, vá ao cinema.

Se alguém está sofrendo, beba vinho (ele sempre alegra), fume maconha (ela sempre provoca sensações agradáveis), faça amor (o sexo é sempre bom), vá ao shopping curtir (as compras sempre distraem).

Se alguém está sofrendo, tome fluoxetina ou outro antidepressivo qualquer.

Se alguém está sofrendo, procure o pastor (ele sempre ora por você) ou o psicólogo (ele sempre o ouve).

Se alguém está sofrendo, dê um tiro no ouvido.

Tiago poderia mencionar situações semelhantes:

Se alguém está aflito, ore.

Se alguém está triste, ore.

Se alguém está passando por um contratempo, ore.

Se alguém está com uma doença supostamente grave, ore.

Se alguém está desanimado, ore.

Para o irmão que está sofrendo e já ora, Tiago diria: continue a orar.

Para dar esse tipo de conselho, subentende-se que Tiago é um usuário da oração. É também uma espécie de doutor em oração, como se vê em versículos anteriores e posteriores. Ele entende de oração. Sabe do que fala. Não é um aventureiro, um novato em oração, um palpiteiro, um irresponsável. Ele não teve espaço suficiente para reforçar o seu conselho com a promessa do Pai: “Se me chamarem no dia de aflição, eu os livrarei, e vocês me louvarão” (Sl 50.15).

– Quando o pobre sofredor ora, o Senhor o livra de suas aflições!

Retirado de Refeições Diárias com os Discípulos. Editora Ultimato.

Deixe seu Comentário »