O debate sobre o jejum

IBFTO 28 de fevereiro de 2014 0

Como podem os convidados do noivo jejuar enquanto este está com eles? [MARCOS 2.19]

Marcos inicia o relato sobre o terceiro debate chamando a atenção para a diferença entre três grupos de discípulos. Ele afirma que os discípulos de João Batista e os discípulos dos fariseus estavam jejuando, mas os de Jesus, não. Ao contrário, de acordo com Lucas, eles viviam “comendo e bebendo” (Lc 5.33). Por essa razão, algumas pessoas vieram a Jesus e lhe perguntaram por que os outros dois grupos estavam jejuando, enquanto seus discípulos, não.

Ele respondeu com outra pergunta: “Como podem os convidados do noivo jejuar enquanto este está com eles? Não podem, enquanto o têm consigo” (Mc 2.19). Alguns comentaristas entendem essa resposta de Jesus como um provérbio para a ação inapropriada. Por exemplo, seria tão inapropriado para nós fazer isso ou aquilo como seria para os convidados jejuarem durante as festas de casamento.

No entanto, penso que as palavras do Senhor são uma minialegoria. Jesus, o noivo, estava com os discípulos. Assim, aquele era o tempo de celebração festiva. Seria inapropriado para eles jejuar naquele período. “Mas virão dias”, disse Jesus, “quando o noivo lhes será tirado” (v. 20). A palavra “tirado” poderia ser uma alusão à morte violenta de Jesus. Na verdade, ele ainda não havia predito seus sofrimentos, embora pareça que já tinha uma ideia sobre eles. Quando o Mestre fosse retirado dos discípulos, eles se entristeceriam e jejuariam. Como vimos no Sermão do Monte, Jesus parece ter dado a conhecer que a doação, a oração e o jejum fariam parte da vida cristã.

Não que jejuar esteja sempre associado a tristeza. Embora em certo sentido o noivo tenha sido retirado de nós, em outro ele retornou para nós no Espírito Santo, e a nossa tristeza tornou-se alegria (Jo 16.20-22).

Para saber mais: Marcos 2.18-20

Retirado de A Bíblia Toda, o Ano Todo [John Stott]. Editora Ultimato.

Deixe seu Comentário »